#GIRLBOSS - O livro, a série e porque Sophia me inspira




Foram tantas críticas ao lançamento da série GIRLBOSS que eu até repensei se deveria ou não escrever esse texto. Ganhei o livro que conta a história de Sophia Amoruso e de como fundou a NastyGal e não tive mais dúvidas: esse texto precisava ser escrito! 

Sophia tem total consciência que não é um exemplo a ser seguido: ela sabe de todas as coisas erradas que fez e durante o livro é completamente perceptível o quanto ela evolui e se torna dona de um império.

Pra quem não faz ideia do que estou falando, Sophia Amoruso foi (já que recentemente a Nasty Gal foi vendida), executiva de 100 milhões de dólares e CEO de uma das marcas jovens mais promissoras dos últimos tempos, a Nasty Gal. Seu negócio milionário começou com a venda bem caseira de artigos vintage no Ebay (diferente do que a série apresenta). 

O livro é mais do que uma autobiografia de uma garota de classe média cheia de privilégios, como muitos apontaram internet a fora. O livro é um verdadeiro guia de autoajuda para garotas que não se encaixam nos padrões.

Sophia não era apenas uma garota rebelde, ela era a deslocada em uma busca incessante por algo que realmente fizesse sentido. E ela encontrou. Quantas vezes não seguimos a vida com o que esperam que a gente faça e nos deparamos com uma rotina vazia? Ela não só descobriu algo que era apaixonada, como insistiu nisso até que desse certo.


Outra coisa que eu adoro na trajetória dela é que em momento nenhum ela tenta se ajustar. Ela sabe que é diferente, sabe que tem um negócio que segue de maneira diferente e usa isso ao seu favor. Tem uma frase que eu adoro que ela diz “Altere as suas roupas o quanto quiser, mas não ouse alterar a pessoa esquisita que existe dentro de você”. 

Sophia fundou seu negócio baseada nos pilares que são minha paixão: vintage + marketing digital. Ela era uma deslocada assim como eu, não se identificava com as pessoas que conhecia assim como eu e como milhões de outras garotas pelo mundo. Daí o seu sucesso estrondoso. 

A respeito da série, mesmo tendo sido produzida com a ajuda de Sophia, a série não chega nem aos pés do livro e tem muitas alterações que a tornam mais "teen" do que a história #GIRLBOSS. Vale assistir pela produção, figurino e por uma história divertida e descontraída.

De qualquer forma, você pode ler o livro, ver a série e ainda assim detestar a personalidade de Amoruso, nesse caso, não tem muito o que fazer. Mas se você trabalha com marketing, vendas online ou se interessa pelo assunto, eu recomendo: leia o livro! A história é uma verdadeira aula sobre branding, marketing e negócios online.




Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.