Resenha do livro "Dorothy tem que morrer"


Antes de começar a falar do livro uma coisa precisa ficar bem clara. Se você gosta da história do Mágico de Oz da maneira como ela é, ou seja, inocente e com traços bem peculiares da época em que o filme foi feito (1939), não leia este livro.

Agora, se você sentiu que muitas pontas ficaram soltas, que respostas precisam ser dadas, que existem muitos mais histórias por trás daquilo que o filme mostrou e, gosta de histórias com características mais adultas (violentas), aí esse livro é pra você. 


Dito isso, vamos ao livro.

O livro "Dorothy tem que morrer" conta a história de Amy, uma menina que, assim como Dorothy, vem da cidade do Kansas, Estados Unidos, e enfrenta problemas normais de uma adolescente de 16 anos. Até que, por meio de um furacão ela vai parar em Oz. Até aqui, tudo igual ao clássico filme. 

Acontece que, quando Amy pisa em Oz, o mundo mágico e belo está completamente transformado. A pessoa que lidera a cidade é ninguém mais ninguém menos que Dorothy, a jovem que voltou para Oz a pedido da bruxa Glinda.

Assim como o título sugere, Dorothy tem uma transformação do seu carácter, e passa a ser uma pessoa odiada por toda Oz, assim como seus fiéis escudeiros Homem de lata, Leão e espantalho.

À partir disso muitas aventuras e questões filosóficas sobre o que é ser bom ou mau serão apresentadas, com um toque bem intenso de sangue e morte, dando ao livro um tom mais sombrio e verdadeiro, mostrando que o lado alienado é extremamente pueril do clássico filme ficou no passado.

Na questão dos personagens a autora criou novos seres para interagirem com os clássicos, dando maior coesão a história.

Por fim, vale dizer que o livro tem a capacidade de prender a atenção, é bem escrito e não perde tanto tempo com romances adolescentes - algo que me agrada - trazendo um excelente entretenimento para quem gosta da história original e quer mergulhar a fundo nesse possível futuro inventado pela autora Danielle Paige.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.