Quando deixei de ser como queriam e passei a ser eu mesma


Hoje é #RedLipsDay que a gente já falou aqui e o projeto lançou uma blogagem coletiva com o tema “A beleza de fugir dos padrões e ser feliz com suas escolhas” e eu fiquei tão empolgada que resolvi participar.

Padrão sempre foi uma coisa que me assustou muito, eu cresci me sentindo sempre um pouco deslocada de todos os meus amigos e familiares. Eu sempre fui a "estranha" que gostava de coisas que ninguém gostava e por isso acabei preferindo (e aprendendo) a passar bastante tempo comigo mesma.

Um dos maiores desafios pessoais (e acredito que o da maioria das mulheres) foi aprender a aceitar (e amar) minha aparência. Eu sempre fui muito rude e exigente comigo, nunca aceitei meu cabelo volumoso e sem forma, meu diastema, as espinhas no rosto, o nariz, a falta de peitos. Eu sempre olhei pro pior de mim e quis mudar coisas que não podem ser mudadas, porque tudo que eu queria era me parecer com o que todo mundo dizia ser bonito.

Uma das coisas que mais me ajudou foi ser fotografada, passei a me ver de uma maneira diferente.

Enfim sai da fase adolescente no colégio, o que foi libertador. Conheci pessoas muito diferentes de mim e percebi que ser diferente era uma coisa positiva. Passei a me encarar no espelho e procurar coisas que eu gostava em mim. No começo tudo que eu podia ver eram meus defeitos, ali, irreparáveis, que me acompanhariam para o resto da vida ou seriam encobertos por alguma cirurgia caríssima e dolorosa. 

Depois, pouco a pouco (e levou bastante tempo) tudo foi ficando mais leve, os defeitos ainda estavam ali mas eles já não eram a única coisa que eu podia ver. O que eu via no espelho era uma pessoa bonita e segura, que não tinha mais medo de ser quem era e de ser diferente. Foi então que o batom vermelho entrou na minha vida.

Começou como um teste e eu fiquei com tanto medo, era a mesma insegurança que eu sentia no colégio, achava que todos estavam olhando pra mim, que eu estava horrível. Depois comecei a reparar em outras pessoas de batom vermelho e por fim, eu me vi de batom vermelho e gostei e naquele momento tudo o que importava era eu gostar do que eu via no espelho. E eu via uma mulher poderosa e confiante.



Desde então eu fiz tantas mudanças malucas e repetinas que assustaram tanta gente. Fui do cabelo castanho pro ruivo (dá pra ver aqui), do ruivo pro preto joãozinho (aqui) e aí cansei de tudo e platinei (aqui), fiz uma tatuagem de fusca com balões que ninguém entende o significado porque não tem significado nenhum e agora, cá estou eu, realizando um sonho que sempre tive de ter o cabelo todinho colorido. 

Hoje, muito tempo depois de ter me redescoberto naqueles reflexos do espelho eu não tenho mais medo dos olhares na rua ou dos comentários maldosos ou dos dias em que eu acordo com a cara inchada e com frizz. Hoje, eu sei mais do que nunca que eu não preciso ser como todos esperam pra ser bonita e digo mais, nunca fui tão eu mesma, nunca fui tão feliz.

Então, se você ainda se olha no espelho e não consegue encontrar algo que goste, eu quero te dizer que o que você tem ninguém no mundo tem igual e que isso faz de você uma pessoa unicamente linda e especial. E que talvez demore um mês, um ano ou uma década para que você possa se ver como realmente é, mas não desista de afastar os pensamentos negativos da sua mente.  Tente esquecer os padrões e foque no que te inspira e te move. 

14 comentários:

  1. Que relato leve e feliz!
    A consciência do próprio corpo é o primeiro passo, e talvez o único necessário, para gerar essa autoconfiança tão em falta e pouco incentivada em nós, mulheres. Até mesmo pra saber, de fato, se o que a gente não gosta do que refletimos no espelho é realmente um problema ou um mero detalhe.
    Um beijo.

    https://fluxoconstante2.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, as vezes a gente dá muita importância pra algo que é tão pequeno, né? Obrigada pelo recadinho isa <3

      Excluir
  2. Muito legal o seu relato...
    Sabe,
    Eu não me sinto igual aos outros mas, não sou do tipo que usa batom vermelho ou cabelo colorido e por vezes chego a pensar que talvez precise disso para fazer parte de um certo clubinho, será?
    Eu pensava assim mas a cada dia que passa eu decido ser eu mesma, sem me rotular, sem ser como os outros esperam...bruxa tem que usar preto..será? eu não uso, gosto de cores e amo branco...roqueira, tenho que ter uma atitude ou me vestir de tal forma? não, sou bem patricinha na verdade, gosto de rosa e sou romantica....
    Timida...fechada...sou timida mas basta conversarem comigo, basta estarem dispostos e eu me abro, eu sou eu mesma, sou timida sim e não curto ficar falando mas quando encontro alguém legal a conversa vai longe mas poucos estão dispostos a tentar uma conversa a entrar no meu mundo.
    Tem tantos rótulos por ai que iria longe...eu sou bruxa, sou roqueira, sou timida e romantica mas não gosto de agir da forma como os outros esperam o querem, acho errado isso, quero ser como eu quiser..fora dos padrões....ela usa cabelo colorido, se veste com roupas modernas retrô...não não, me visto como eu gosto, sinto falta de ter certas roupas mas, não fico bem com certos vestidos e cara, cabelo colorido da um puta trabalho pra manter e sou pobre hahahaaa então necas.
    Mesmo fora dos padrões temos padrões ainda, se não for machista tem que ser feminista ...
    Eu acho lindo quando vejo mulher de batom vermelho, mulher com aqueles cabelos black power sabe, acho lindo demais ver mulher se vestindo de formas não convencionais como diriam ou modernas...tem tantas hoje que se vestem como nunca antes, acho que essa época é a melhor de todas para a moda sabe, as pessoas estão mais bonitas, vibrantes tem algo mais...mas ainda temos padrões mesmo fora dos padrões.
    As mulheres descoladas, modernas não costumam me aceitar...sou timida e com um q de romantica incuravel e sou chata sim, quando eu quero e as pessoas não gostam mesmo rsss mas hoje não ligo mais.
    Aprendi que não preciso de aprovação ou de pessoas que não me aceitam por eu ser eu sabe, ser bruxa mas meio fada, acreditar no que outros não acreditam, defender ideias que outros julgam erradas, eu gosto de ser eu mesma, me irrito ainda , de vez em quando, quando alguém não respeita meu modo de ser mas dai me lembro de que somos seres em evolução e temos muito a aprender ainda então hoje, sou sozinha? sou, sou virgem? sou, nunca namorei? não...sou fechada? não, as pessoas que não querem conversar com alguém tão diferente delas, acho que sou diferente até do diferente hahahahaaaa
    Eu a cada dia me amo mais e a hora que eu estiver totalmente livre, liberta, ai ninguém me segura mais, estou em crescimento e aprendizado, cada dia me sinto maior e mais forte e parte disso se chama acreditar em si mesma, ouvir seu coração...
    É simples? está triste? então está errado. Não gosta do que faz? então pare agora e mude...não é fácil, envolve brigas, discussões mas eu decidi que meu bem estar é mais importante do que deixar alguém feliz, porque, quando eu estiver bem os outros também ficarão bem e fim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe Fe, aprender que não precisa de aprovação de ninguém além de você mesma é uma coisa maravilhosa. Saiba que você não precisa se encaixar, usar as mesmas roupas ou ter os mesmos gostos, você é incrível porque você é você, sabe? E ninguém no mundo vai ser como você. Quem não quiser conversar com você vai estar perdendo um ótimo papo e uma companhia incrível. Continue se amando e aproveitando o melhor de você e não ligue para os outros <3 Beijos

      Excluir
  3. Desculpa o livro não consigo escrever pouco.

    ResponderExcluir
  4. Que demais! Te falar que ainda me falta de coragem de me sentir mais livre, por assim dizer. Um dia chutei o balde dos planos que fazia e mandei uma tatuagem (que também não tem muito significado para as pessoas, mas pra mim, significava "respirar" - antes eu tivesse escrito isso, ou feito balões, enfim, é um infinito!). Mas acho que tudo tem a ver com amadurecimento também, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente se sente tão mais feliz e livre e leve quando chuta o balde, né? Eu tenho crises de ansiedade toda vez que preciso me apresentar ou socializar com muitas pessoas, mas depois eu fico pensando "essas pessoas nem me conhecem, pq eu me importo tanto?" e a ansiedade dá uma melhorada. E sim, é total amadurecimento!

      Excluir
  5. " Eu sempre olhei pro pior de mim e quis mudar coisas que não podem ser mudadas, porque tudo que eu queria era me parecer com o que todo mundo dizia ser bonito. "

    Essa frase descreve exatamente tudo. Sempre olhamos pro pior que temos, raramente nos valorizamos por sermos diferentes e na maioria das vezes queremos seguir os padrões da sociedade. Eu por exemplo estou passando por isso atualmente, sempre fui atleta, parei tem 3 anos e engordei muito, todo mundo me fala que eu não to gorda mas na minha visão eu to e não estou satisfeita, minha auto estima foi no chão, não me acho bonita, tudo isso porque a sociedade impôs um padrão de beleza que achamos que temos que seguir e não é assim que as coisas funcionam. Adorei seu texto, muito bom mesmo. Me ajudou a ver alguns pontos que eu não havia pensando antes. Muito obrigada ;)
    Beijos

    http://entre-linhaseparagrafos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muuuuito gratificante ouvir que meu texto te ajudou, mesmo que um tiquinhoinho a repensar isso. Os padrões de beleza são uma droga, eles foram criados porque é humanamente impossível que uma grande parte das pessoas se encaixe nisso e é injusto. Eu não vou te dizer que você TEM QUE se amar do jeito que tá, pq isso é impor algo pra você do mesmo jeito que as pessoas fazem com os padrões, o que eu posso te dizer é pra repensar se você não está gostando do seu corpo pq vc se importa com isso ou pq vc se importa com oq as pessoas pensam sobre isso. Beijos querida <3

      Excluir
  6. Oie, tudo bem? É a primeira vez que visito seu blog e confesso que fiquei encantada com os posts. É verdade, precisamos seguir nossos sonhos, o que acreditamos e não o que as pessoas esperam de nós, afinal quem vive nossa vida somos nós não é mesmo? Eu mesma já não gosto de ser fotografada, prefiro fotografar e registrar as coisas que considero bonitas. Sou bem tímida e as vezes não me acho muito bonita, me considero "normal" haha por isso até evito algumas fotos minhas no blog. Gosto de escrever, compartilhar coisas boas, mas não me mostrar muito. As vezes penso que se as pessoas me verem podem mudar o que pensam de mim, ou pra melhor ou pior, vai entender rs Parabéns pelo post! Beijos, Érika ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Érika, fico muito feliz que você tenha gostado do blog <3 E a gente tem que fazer o que se sente bem, né? Adoraria ver as suas fotos, você tem um insta? Sobre o que as pessoas vão achar de você, só consigo ver essa foto aqui e tudo que eu consigo pensar é que você é uma mulher linda e radiante :)

      Beijos!

      Excluir
  7. Eu passei de garota que sofria bully por sobrepeso e por sempre estar na biblioteca para a professora tatuada e legal. Assim como deixei de procurar defeitos em mim. Depois disso, me sinto muito mais mulher do que muita capa de Vogue.
    Acredito que todo mundo tenha que passar por essa fase de conhecimento de si mesmo, só que poucos aprendem.
    Você é linda! Nunca esqueça disso :D
    A Bela, não a Fera | Youtube A Bela, não a Fera | Fã Page no Facebook

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.