Figurinos do Oscar 2016



Chegou o dia do Oscar e enquanto todo mundo está na torcida por Leo (maravilhouso) DiCaprio a gente tá aqui com a torcida dividida entre quem leva a estatueta pelo melhor figurino.

No ring temos Cinderela, MadMax, A Garota Dinamarquesa, O Regresso e Carol, cinco filmes completamente diferentes, com figurinos completamente diferentes. Difícil escolher, né? Então, que tal a gente contar um pouquinho sobre eles e você escolher seu favorito?

Cinderela



O figurino de Cinderela foi criado por Sandy Powell, uma figurinista incrível que só esse ano foi indicada duas vezes (tá bom? Tá bom!). Sandy conseguiu dar vida ao universo de fantasia presente no conto de fadas favorito de muita gente. Usando muuuuitos cristais Swarovsky e luzes de LED, Sandy conseguiu dar o toque certo de fantasia e sonho em peças reais. Além disso, para as apaixonadas pelas vilãs (euzinha), o figurino de Cate Blanchett, que interpreta a madrasta, é um misto perfeito de elegância, anos 40 e muito drama, mistura perfeita para uma madrasta bem má-ravilhosa.

MadMax



Confesso que quando vi MadMax mal consegui prestar atenção no figurino com tantas cenas de ação, mas depois, quando decidi escrever sobre isso e comecei a prestar atenção nos detalhes tudo fez sentido. O cenário é um futuro pós-apocalíptico, então tudo que seria lixo passa a ser reaproveitado nas roupas. As cores estão praticamente extintas, então todas as peças tem cores naturais e suaves. O figurino de Max é inspirado no figurino do antigo Max (sem grandes novidades galera). Já o visual de Furiosa foi todo planejado a partir da sua prótese de braço e o mais bacana é que ela é uma personagem super forte e em nenhum momento sua roupa a sexualiza, ponto para a figurinista Jenny Beavan!

Uma curiosidade bacana, os figurinos esposas do Immortan Joe, foram inspirados em um ballet em que as dançarinas usavam apenas tecidos enrolados no corpo, o diretor viu, amou e quis incorporar no filme.

A Garota Dinamarquesa




Um filme extremamente sensível com figurino e fotografia impecáveis! O melhor de A Garota Dinamarquesa é que é um filme de época, mais especificamente da década de 20, por isso todo mundo que ama o retrô vai enlouquecer com os belíssimos vestidos, lenços, cabelos e maquiagens do longa.

O figurino, assinado por Paco Delgado, encaixa perfeitamente na trama, mostrando as fases da transformação de Einar, um pintor tímido e apaixonado por sua esposa, em Lili, uma transexual. Tudo isso é documentado por cores, estampas e tecidos belíssimos. Ah! A década de 20 foi um feliz acerto para a trama, já que foi nessa época que as garotas passaram a usar vestidos mais largos, menos acinturados e adotar um visual mais andrógino, logo, Lili conseguiu transitar por aí sem ser (quase) notada ou descoberta.

O Regresso




Analisar o figurino de O Regresso é um verdadeiro desafio, primeiro porque praticamente não existem mulheres na trama, as que existem fazem papel de indígenas, segundo porque a história se passa em 1822, com homens caçadores que não tinham lá muito dinheiro, mesmo assim a figurinista Jacqueline West explorou o ponto alto da trama: as peles.

E isso deu um bafafá tremendo, Leo DiCaprio (agoravai!) passou boa parte do filme com um casaco de pele de urso de 45 quilos, um casaco de pele de urso REAL. Muita gente ficou brava e a figurinista justificou que nenhum urso sofreu maus tratos na produção do figurino, que aquela era uma pele vinda de uma reserva de proteção ambiental que leiloava peles de animais que morriam naturalmente. O trabalho interessante ficou por conta do tratamento que ela deu para essas peles, Jacqueline foi pesquisar exatamente como esses caçadores faziam na época que o filme se passa e tentou ao máximo reproduzir o guarda roupa do elenco usando as mesmas técnicas. Imagina o trabalhão!

Carol



Carol conta a história de duas mulheres lindas que se apaixonam, uma jovem intelectual e uma senhora “de família” extremamente elegante, o mais bacana é que a trama se passa no comecinho da década de 50, por isso o figurino é um prato cheio para as apaixonadas pelo estilo da década. Carol traz o melhor da elegância e glamour da era dourada, broches, cabelo impecável, saia lápis, cintura bem marcada, uma verdadeira musa da Vogue. Já Therese tem muuuuitas referências da nossa amada Audrey Hepburn em Funny Face, saias godês e muito xadrez. A figurinista responsável é Sandy Powell, que concorre na mesma categoria com Cinderela.

QueQue a Letícia acha:

Foi muuuuito difícil fazer alguma aposta para essa categoria, sério! Primeiro eu imaginei que Cinderela fosse levar porque Sandy conseguiu transportar com maestria um figurino que vive no imaginário de muita gente para vida real de um jeito impecável.

Depois imaginei que A Garota Dinamarquesa levaria, porque o figurino faz parte da história de uma maneira tão enfática que ele é quase um personagem, eu gostaria muito que A Garota Dinamarquesa levasse, mas estaria sendo injusta com MadMax, afinal, o figurino de A Garota Dinamarquesa foi todo criado com base em pesquisas de uma década já existente, não existem inovações ou criações malucas, o figurino é lindo, mas não é uma surpresa, entendem?

Agora imagino que MadMax seja o grande favorito, cada detalhezinho de sucata, dos broches até as costuras aparentes foi pensado, a ideia de criar um figurino para um futuro paralelo onde tudo que a gente conhece hoje acabou e cada coisinha que hoje parece boba passa a ter grande valor. O fato é que os detalhes importam e muito, por isso aposto em MadMax com meu coração em A Garota Dinamarquesa e minha cabeça em Cinderela.



E você? Qual seu favorito?

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.