Exposição: Oscar Niemeyer




O carioca nascido em dezembro de 1907, foi (e sempre será) um dos maiores arquitetos da história do Brasil. Oscar Niemeyer revolucionou o ideal de arquitetura moderna com suas curvas e traços únicos e ficou conhecido no mundo todo por seus diversos prêmios na área. 

As obras de Niemeyer são muitas, entre elas o projeto do parque Ibirapuera e o edifício Copan em São Paulo, a capital federal de Brasília, a sede da ONU nos Estados Unidos, a catedral  também de Brasília e o Memorial da América Latina. Sua importância foi tamanha, que recentemente ele ganhou uma exposição na cidade de São Paulo chamada Oscar Niemeyer: clássicos e inéditos, que reúne projetos famosos e inéditos, fotografias e maquetes, além de exibirem o documentário Oscar Niemeyer - o Filho das Estrelas (2001) de Henri Raillard.

Na última sexta feira, 27, eu estive no Itaú Cultural para ver tudo isso de perto, apesar de admirar a trajetória desse arquiteto brilhante, achei que seria mais interessante trazer o olhar de alguém que estuda e adora arquitetura, confira abaixo as impressões do Gabriel sobre a exposição:

" A expo fala sobre a obra de Niemeyer de uma forma ampla porém bem explicativa, no começo da exposição é possível assistir um documentário onde o Niemeyer comenta sobre várias obras que estão presentes, existe uma abordagem do lado humano do arquiteto, como sua visão de uma cidade do futuro, seus desenhos que falam sobre política ou até por meio de relatos de pessoas que conviveram com o arquiteto (como Chico Buarque falando sobre a casa que Niemeyer projetou para sua família).

Junto com a geração dos modernistas, Niemeyer conseguiu fazer pela primeira vez uma arquitetura que fosse realmente brasileira, com influências de grandes arquitetos como Le Corbusier, mas sem perder a originalidade. Niemeyer desenvolve então um estilo próprio, criando uma arquitetura que valoriza as formas extraídas da natureza e da mulher brasileira. Niemeyer figura entre os brasileiros que tiveram destaque internacional em suas áreas de atuação e que se tornaram uma espécie de heróis nacionais - tal como Ayrton Senna foi para a Fórmula 1 ou Pelé para o futebol - ele está no cotidiano e na mente dos brasileiros mesmo que com um olhar leigo. Na exposição é possível ver tanto esse lado mais intimo de Niemeyer, quanto o lado técnico com seus croquis, anotações, planos, é possível vislumbrar como ele raciocinava, solucionava problemas e via a arquitetura como um todo. É como viajar dentro do processo criativo dessa mente brilhante!

O que eu mais gostei na exposição foi poder olhar os projetos e desenhos dele e o que mais me chamou a atenção foi o fato da exposição fugir do lugar comum mostrando obras não tão famosas do Niemeyer, inéditos e ate uma seção totalmente dedicada as obras feitas/projetadas no Estado de São Paulo. E o que mais me surpreendeu? Bom... Como a letra dele era feia! rs (brincadeira).  Por fim, apesar de Brasília se apresentar como a resposta mais lógica para qual foi a maior contribuição de Niemeyer para o Brasil, ela é uma resposta muito simplória que ignora por completo toda a obra do arquiteto que demonstrou uma singular capacidade de expressar uma arquitetura genuinamente brasileira e que colaborou muito para colocar nosso país em uma posição de destaque na produção arquitetônica."




































Ficou curioso? Então corre! A exposição vai até 27 de julho, fica no Itaú Cultural (Av. Paulista, 149), de terça a sexta das 9h às 20h e sábados, domingos e feriados das 11h às 20h. A entrada? É franca!


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.